Choose Royal

Design, objects, material culture and stuff.

Paris Lisboa

Ainda é de casa da mãe mas não é bem, porque é mesmo escolha nossa.
Paris (1994) de Malcom McLaren é um dos mais importantes da nossa colecção, mesmo que hoje em dia já não toque como tocava. Outrora tocou repetidamente e repetidamente. Foi gravado em cassetes, foi emprestado (sempre por pouco tempo), dançado e cantado.
Fomos a Paris e voltámos talvez mesmo sem ainda lá termos ido.
Já sabíamos como era apaixonarmo-nos em Paris sem anda o termos experimentado.
Passámos a ouvir Satie de outra maneira, com a Deneuve a cantar (cantar?) por cima.
Alinhámos no sonho de MacLaren e do seu map of feelings e Paris passou a ser James Bond, Satie, Françoise Hardy, Juliette Gréco, Jeanne Moreau, Miles Davis, o Club Tabou, beijos em lugares secretos e Sid Vicious.
Ainda hoje há esta Paris, que não era nossa mas que passou a ser.
Este fim de semana é em Paris.
(imagem: still do vídeo de Paris Paris (1994) incluído em Paris de Malcm MacLaren)
Advertisements

2 comments on “Paris Lisboa

  1. Rui Catalão
    March 25, 2009

    We will always have Paris…! 😉

    Like

  2. Luis Royal
    March 25, 2009

    sure we will!

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on March 21, 2009 by in Músicas.
%d bloggers like this: